Índia: aborto seletivo de meninas !!!

 

 

Foto: New York Times

 

O aumento da riqueza e a melhoria da educação na Índia estão aparentemente contribuindo para uma crise nacional de “garotas desaparecidas”, com o número de abortos de meninas aumentando drasticamente entre as famílias mais abastadas e educadas nas últimas duas décadas, segundo um novo estudo.

O estudo constatou que o problema do aborto seletivo de meninas tem se espalhado de forma constante em toda a Índia, depois de passar anos sendo confinado a um punhado de Estados conservadores do norte do país.                 

Os pesquisadores descobriram também que as mulheres de famílias de maior renda e mais instruídas são muito mais propensas do que as mulheres mais pobres a abortar uma menina, especialmente durante a segunda gravidez, caso a primogênita seja uma menina.

“Isso tem implicações profundas”, disse Shailaja Chandra, uma das autoras do estudo e ex-diretora do Fundo de Estabilização da População Nacional, nesta terça-feira durante um debate após a divulgação dos resultados. “A escala é muito grande e exige uma intervenção além do que tem sido feito até agora”.

O estudo, publicado na revista médica britânica The Lancet, é a mais recente evidência do desequilíbrio cada vez pior na proporção de meninos e meninas na Índia.

O censo de 2011 da Índia revelou que há 914 meninas para cada mil meninos entre as crianças de 6 anos ou menos, a menor proporção de meninas desde que o país ganhou a independência em 1947. O novo estudo estimou que de 4 a 12 milhões abortos seletivos de meninas ocorreram na Índia nas últimas três décadas.

Legislação

O governo aprovou uma legislação destinada a impedir que os pais usem exames de ultrassom ou outras tecnologias para decidir se irão abortar uma menina. No entanto, apesar dessas leis, a situação não melhorou. Poucos médicos que violaram a lei foram processados – a regulação dos prestadores de cuidados de saúde particulares continua muito limitada. 

A Índia é similar a muitos países asiáticos, no que muitas famílias preferem os meninos. Nos rituais fúnebres hindus, somente os homens, de preferência um filho do falecido, podem exercer os últimos sacramentos.

Os filhos também costumam herdar os bens e levar o nome da família – enquanto as filhas se casam e passam a integrar outras famílias. A preferência cultural por filhos também é comum entre muitos muçulmanos indianos.

O estudo da Lancet foi realizado por pesquisadores da diversas instituições parceiras, com o Instituto Nacional de Saúde dos Estados Unidos fornecendo parte do financiamento. Cerca de 250 mil partos foram examinados entre 1990 e 2005, usando dados da Pesquisa de Saúde Familiar da Índia, bem como dos Censos realizados entre 1991 e 2011.

*Por Jim Yardley – New York Times

 

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: