STF do México a favor da vida, exemplo para o Brasil !!!

 

 

Anúncios

Nosso pedido foi atendido

 

  

Ivone Gebara, aquela freira abortista  (?!!!),  não faz mais parte da programação do   X Congresso de Teologia da PUCPR – Teologia, Gênero e Expressões: para onde caminhamos?; o que na verdade, nunca poderia ter sido nem convidada  a estar, se a PUCPR  de fato quer honrar  a sua identidade Católica como tem que hornar, vamos lembrar bem  do Ano Sacerdotal:  FIDELIDADE DE CRISTO,  FIDELIDADE DO SACERDOTE !!!

Mudaram  a programação e ela foi  substituida.  Parabéns a todos que foram cobrar uma coerência da nossa Igreja e protestaram quanto a presença lamentavel desta  teóloga feminista  (?!!!) que defende a morte de nascituros indefesos e inocentes. E olha que vivemos o mês da Bíblia, onde está lá bem claro: <<< NÃO MATARÁS  >>>.  E ainda tem coragem de se apresentar como irmã e teóloga !!!!!

 Ernesto Peres de Mendonça

 

Na Semana Nacional pela Vida: Campanha São Paulo Pela Vida será lançada na arquidiocese de Aparecida

 

sao_paulo_pela_vidaO Cardeal Arcebispo de Aparecida, Dom Raymundo Damasceno Assis, participa no domingo (02) do lançamento da Campanha São Paulo pela vida na arquidiocese de Aparecida.

O lançamento será feito durante a celebração das 8h no Santuário Nacional. O objetivo da campanha é assegurar pela lei a defesa da vida desde sua concepção até o seu fim natuaral. A inciativa é da Diocese de Taubaté, que pertence a sub-região de Aparecida e do Movimento Legislação e Vida.

A campanha quer que seja incluso na Constituição do Estado de São Paulo uma emenda garantindo o direito à vida, tornando o estado o primeiro pró-vida do país. 

” A Arquidiocese de Aparecida se une as demais dioceses do estado de São Paulo por essa iniciativa em defesa da vida, desde a sua concepção até a morte natural, Por isso, apoiamos a campanha pela emenda à Constituição de São Paulo”, afirmou Dom Damasceno.

A campanha foi lançada no dia 27 de novembro de 2010, na Diocese de Taubaté, por ocasião da Vigília de Oração pela Vida Nascente proposta pelo Papa Bento XV e depois foi encampada por outras dez dioceses: Guarulhos, São José dos Campos, Caraguatatuba, Assis, Presidente Prudente, Santos, Lorena, Campinas, Santo André e Mogi das Cruzes. 

 

EU VIM TRAZER VIDA, E VIDA EM ABUNDÂNCIA !!!

 

 

<<<   TARDE DE ADORAÇÃO EUCARÍSTICA EM FAVOR DA VIDA NASCENTE   >>>

 

Abrindo a   SEMANA NACIONAL DA VIDA

 NOSSA TARDE DE ADORAÇÃO EUCARÍSTICA EM FAVOR DA VIDA NASCENTE

Estaremos com JESUS O PÃO DA VIDA

rezando pelas famílias, que é o berço da vida 

 e para que jamais o aborto venha ser liberado no Brasil !!!

 
Venha participar conosco !!!

Capela Maria Imaculada – Av. Cons. Nébias, n. 668 -Santos

01 de Outubro  – a partir  das 14:30 hs

Maiores informações  no telefone  13 30197953

 

 

A VIDA PEDE PASSAGEM !!!

 

 

 TODA

 A TURMA DO JARDIM DO CÉU

VAI ESTAR NO

PEDÁGIO DA VIDA

NO DIA DO NASCITURO – 08 DE OUTUBRO

 

NA AVENIDA DA PRAIA

COM A AV. ANA COSTA NO GONZAGA

NA CIDADE DE SANTOS –  SP

A PARTIR DAS 16:00 HS 

 

ESTAMOS JUNTOS:

SÃO PAULO PELA VIDA

E PELO ESTATUTO DO NASCITURO

 

 

Santa Faustina: Céu, Purgatório e Inferno

 

 

 

Mais de um milhão de bebês do sexo feminino são abortados por ano, revela relatório do Banco Mundial

 

Uma pesquisa elaborada pelo Banco Mundial mostrou que a cada ano são praticados 1,5 milhão de abortos seletivos de meninas, enquanto outro meio milhão de mulheres menores de cinco anos morrem vítimas de discriminação em suas próprias casas, onde recebem tratamento diferente dos irmãos homens.

O feticídio feminino acontece sobretudo na China, Índia e Coreia do Sul, países em que há mais de uma década foi proibido o uso de ultra-som para detectar o sexo do feto. Apesar disso, aumentou em mais de 1 milhão o feticídio feminino na China em 2008. Na Índia, houve um decréscimo, mas o relatório ressalta que os assassinatos seletivos, antes restritos ao norte do país, agora são realizados também no centro e no sul.

O dado mais alarmante, porém, corresponde à região da Europa e Ásia Central – mais especificamente os Bálcãs ocidentais e as repúblicas caucasianas -, não por seu número, que continua sendo baixo, mas porque a cifra duplicou, passando de 7 mil em 1990 a 14 mil em 2008.

Especialistas atribuem a barbárie à “combinação da forte preferência por filhos homens com a diminuição da natalidade e à expansão das tecnologias que permitem aos pais conhecerem o sexo de seus filhos antes de seu nascimento”.

No total, o estudo considera que a cada ano se perdem cerca de quatro milhões de mulheres, porque também há um número alto delas – quase 1,5 milhão – que morrem durante a idade reprodutiva, entre 15 e 49 anos. Primeiro, porque ainda há uma alta mortalidade materna na África subsaariana e em algumas partes da Ásia. No Afeganistão, Chade, Guiné-Bissau, Libéria, Malí, Níger, Serra Leoa e Somália, ao menos 25 mulheres morrem por complicações na gravidez ou no parto, e um número ainda maior sofre de diversas doenças em consequência dos partos.

O levantamento, por outro lado, também revela importantes avanços alcançados na igualdade de gênero no último meio século, o que em escala global permitiu à mulher ser mais longeva que o homem em todas as regiões do planeta. Em 2007, a esperança média de vida da mulher era de 71 anos frente aos 67 anos do homem. Em alguns países a esperança de vida feminina chegou a aumentar em 25 anos, em parte devido à redução da natalidade.

 

© 1996 – 2011. Todos os direitos reservados a Infoglobo Comunicação e Participações S.A.