Teologia da Libertação: uma verdadeira traição a Cristo e ao seu Evangelho !

 
Consideramos oportuno a leitura desta mensagem de Nossa Senhora de Fátima dado ao Pe. Stefano Gobbi do Movimento Sacerdotal Mariano em forma de locução interior. Nela, Nossa Senhora se mostra preocupada com o que vem acontecendo  com a Igreja no Brasil e faz uma grande exortação sobre seus erros, divisões e mazelas. 
 
Vamos ver, que depois de tudo o que aconteceu durante o período eleitoral, essas  suas Palavras de Mãe  são atuais, são dirigidas para o que estamos vivendo na Igreja hoje, quando vimos Padres e Bispos se levantarem contra a pureza do  Evangelho de Jesus, contra a pessoa do Papa Bento XVI, contra  a integralidade do Magistério e contra a unidade da Igreja. Para se colocarem em oposição à defesa da vida, com o apoio e comprometimento público com o projeto do governo do PT, que é assumidamente abortista e contra a família.     

 

 

<<<  Minha mensagem materna e preocupante  >>>

 

“Como o meu Coração tão dolorido é consolado por vós, nestes dias, meus prediletos e filhos a mim consagrados, vindos de todos os recantos desta vasta Nação!

Eu estou sempre no meio de vós, presente como estava com os Apóstolos e discípulos no Cenáculo de Jerusalém. Eu Me uno à vossa oração. Eu participo dos momentos da vossa fraternidade. Neste dia, Eu quero dirigir, deste Cenáculo, a minha Mensagem materna a todo o Brasil, esta terra tão insidiada pelo meu Adversário, mas muito amada e protegida por vossa Mãe do Céu.

Em primeiro lugar, o meu Coração é afligido por grande dor em razão da situação em que se encontra aqui a minha Igreja.

Ela está internamente dividida, é ameaçada de perder a verdadeira Fé, muitos erros se espalham no seu interior. Esta situação é causada pelos Pastores que não estão unidos ao Papa. Sua única preocupação é voltar-se exclusivamente aos problemas sociais, esquecendo-se de que Jesus morreu na Cruz e ressuscitou para obter-Vos o grande dom da Redenção e para salvar as almas.

Desta forma, difunde-se sempre mais o ensino da Teologia da Libertação, que é uma verdadeira traição a Cristo e ao seu Evangelho.

Bispos e Sacerdotes da Santa Igreja de Deus, voltai à plena unidade com o Papa. Voltai a ensinar as verdades reveladas por Jesus, com coragem e fidelidade. Pregai o Evangelho na sua integridade e tomai conta do rebanho que vos foi confiado. O cisma e a apostasia ameaçam hoje a Igreja que vive nesta vossa Nação.

Depois, o meu Coração está repleto de dor pelo grande perigo que corre a vossa Pátria, em razão da difusão da violência, do ódio, do mal e da imoralidade.

Em nome de um falso modo de entender a liberdade, são permitidas e justificadas, também, as mais graves desordens morais. A impureza é exaltada e difundida através dos meios de comunicação social e, assim, um véu tenebroso desceu e obscureceu as almas de numerosos filhos meus.

Se não houver um retorno geral a Deus, pelo caminho da conversão e da penitência, um grande castigo poderá golpear logo esta vossa Nação.

Enfim, quero dizer-vos que, hoje, o meu Coração Imaculado é consolado por vossa resposta de consagração e de oração.

Levai o maior número possível de meus filhos à Consagração ao meu Coração Imaculado, por mim querida e pedida. Vós que participastes deste Cenáculo, tornai-vos apóstolos da Consagração ao meu Coração Imaculado em todo o Brasil. Multiplicai os Cenáculos de oração. Difundi sobretudo os Cenáculos familiares, como uma grande rede de salvação.

Então, vós vos tornais os raios de luz que descem do meu Coração, para iluminar o Brasil inteiro, nestes dias de densa treva. Vós vos tornais sinais do meu triunfo materno. Vós sois os instrumentos da minha vitória. E por meio de vós, que Me respondestes, a Mãe do Céu trará à vossa Igreja e à vossa Pátria o dom da salvação e da Paz.”

25 de fevereiro de 1988, Itaici (Brasil) 

Exercícios espirituais sob forma de Cenáculo, com Sacerdotes e fiéis do Movimento Sacerdotal Mariano de todo o Brasil

 

 Explicação da Mensagem:
 

Irmãos Sacerdotes, aqui vos falo com o coração e não como perito dos problemas. Falo-vos como Nossa Senhora me faz sentir. Devo explicar a frase que pronunciei em três Cenáculos: em Brasília, em Fortaleza e, aqui, em Itaici:

“Judas recorreu às trinta moedas para trair Jesus. Alguns teólogos recorrem à Teologia da Libertação para trair Jesus”.

Em seguida, quero ler esta frase da Mensagem: “Dessa forma se difunde sempre mais o ensino da Teologia da Libertação, que é uma verdadeira traição a Cristo e ao Evangelho”.

Como deve ser entendida, a minha frase e a da Mensagem? Segundo o Magistério, há uma correta maneira de entender a Teologia da Libertação: é a indicada nos documentos do Magistério da Igreja, de Puebla, nos documentos da Santa Sé, especialmente no último documento da Sagrada Congregação para a Doutrina da Fé, que se intitula exatamente Libertatis conscientia.

Esta Teologia da Libertação está em sintonia com o ensino católico, que tem larga abertura em relação aos pobres e o compromisso de construir uma sociedade mais justa, que é uma preocupação constante da Igreja, expressa recentemente na última encíclica do Papa, Sollicitudo rei socialis.

Esta Teologia, porém, parte destes princípios bem claros: Cristo, Filho de Deus, Redentor, realiza a Redenção para libertar todos os homens do pecado. Eis a verdadeira libertação realizada por Cristo. Com a Redenção, liberta-nos do pecado, para que a vida de Deus esteja em nós e todos possamos alcançar o Paraíso.

Claro, nesta terra lutamos também, em favor da construção de uma sociedade mais justa. Porém, não devemos esquecer que o pecado social é consequência do pecado individual; e o pecado individual é consequência do pecado original. Em consequência do pecado original, será impossível construir o paraíso nesta terra. O verdadeiro Paraíso nós o encontraremos depois desta vida.

Por outro lado, constato que Jesus disse: “Ai de vós, ricos! É mais fácil um camelo passar pelo buraco de uma agulha do que um rico entrar no reino dos céus”. Porém, este Jesus que proferiu esta frase é o mesmo que teve como grande amigo um rico, Lázaro; é o mesmo que respondeu a Judas: “Pobres sempre os tereis convosco”, quando Madalena derramava unguento sobre os pés de Jesus e Judas reclamava dizendo: “Por que este desperdício?… Podia-se dar este dinheiro aos pobres”! Madalena agiu corretamente.

E o mesmo Jesus que, ao findar o jejum quaresmal disse: “Não só de pão vive o homem, mas de toda a palavra que sai da boca de Deus”.

Não somente os corpos, mas também as almas têm fome.

A Teologia errada é a dos que pretendem fazer de Jesus uma espécie de revolucionário; e nesta linha, chegam inclusive a negar-lhe a Divindade. Seu único interesse é o da libertação da pobreza, para construir um mundo mais justo somente nesta terra; e, por este motivo, todos os interesses permanecem no plano horizontal.

Aqui atraiçoam a Cristo, porque em certo ponto negam o mistério da Redenção. Se Jesus buscasse essa libertação não teria morrido na Cruz. Esta é a teologia que Nossa Senhora condena; mas, antes que Nossa Senhora a condenasse, o autêntico Magistério da Igreja a condenou.

Alguns me dizem: “Mas, Padre Stefano, o senhor não conhece os problemas da América Latina!” Claro, e como poderia conhecê-los no espaço de um mês? Vós os conheceis. Porém, são os mesmos problemas que encontrei na Ásia, nas Filipinas… ricaços e grande número de pobres.

Portanto, é natural que a Igreja se empenhe em criar uma sociedade mais cristã e mais justa.

Digo mais, durante esta minha viagem mantive encontro com fiéis e Religiosos em muitos lugares. Depois de lhes falar sobre Jesus, da necessidade de viver em estado de graça, do dever de participar da Eucaristia, de lutar contra o pecado, de rezar o Terço, diziam-me chorando: “Muito obrigado, Padre, por nos falar destes assuntos, porque os nossos Padres só nos falam sempre de temas sociais, dos pobres, da libertação e da escravidão, e nunca falam dessas verdades”. Não só de pão vive o homem! Irmãos, reparti com estas almas famintas o pão da Palavra de Deus.

Concluo:

O problema da América Latina… O mundo é um só! Encontrei este problema bem mais acentuado em certos países da África que visitei, em certos países da Ásia, em toda a Índia. Vi as favelas das vossas grandes cidades. Via as favelas do Rio. Porém, não vi aqui o que vi em Bombaim e em Calcutá: 500.000 pessoas vivem, adoecem e morrem nas calçadas das ruas! Aí vivem! No entanto, quando estive em Calcutá para realizar o Cenáculo, que foi feito na casa das Irmãs de Madre Teresa, pensei: Madre Teresa não inventou a Teologia da Libertação; mas falando concretamente: quem é que realizou mais em favor destes pobres? Estes teólogos da Teologia da Libertação ou Madre Teresa de Calcutá? Respondei vós mesmos!

Padre Stefano Gobbi  –  Movimento Sacerdotal Mariano

Para conhecer mais sobre o Movimento Sacerdotal Mariano clique no nosso site www.coracaosacerdotal.wordpress.com

 

 

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: