Bispos de São Paulo coligam-se em Defesa da Vida Nascente

 

As Dioceses de Taubaté, Lorena, Caraguatatuba e Guarulhos, coligaram-se neste sábado, dia 27 de novembro de 2010, dia da Vigília Mundial de Oração pela Vida Nascente pedido pelo Papa Bento XVI,  por ocasião de uma missa solene celebrada na Catedral de Taubaté, para iniciarem um projeto de iniciativa popular com o objetivo de apresentar uma Proposta de Emenda à Constituição do Estado de São Paulo que garanta a inviolabilidade da vida humana desde a concepção até a morte natural.

Segundo o coordenador da Comissão Diocesana em Defesa da Vida de Taubaté, Hermes Nery, as dioceses pretendem recolher pelo menos 300 mil assinaturas, que representam 1% do eleitorado do Estado de São Paulo, para viabilizarem o projeto. A Constituição Federal já declara que a vida não pode ser violada, mas não deixa claro desde quando. Queremos explicitar na Constituição Estadual que a vida começa na fecundação e segue até a morte natural. Queremos tornar São Paulo o primeiro Estado da Federação com uma lei que proteja a vida humana de forma integral.”

Em declarações aparecidas no Boletim Situação da Defesa da Vida (SDV), o bispo de Guarulhos, Dom Luiz Gonzaga Bergonzini afirmou: “É um primeiro passo para chegarmos até a Constituição Federal e impedirmos a descriminalização do aborto. A vida é o valor maior que temos e deve ser defendida desde sua concepção”.

“Acho importante esta iniciativa, tendo em vista que todas as pesquisas indicam que o povo brasileiro é pela vida e, portanto, contra o aborto, pela proteção da vida humana, desde a concepção”, frisou o bispo de Taubaté Dom Carmo João Rhoden em declarações reunidas pela Rádio Vaticano.

 

 

Anúncios

A nossa Igreja no lixo !

 

Às vésperas das eleições presidenciais,  chegamos ao  extremo de ver o Papa Bento XVI pedir um engajamento maior e mais decisivo dos seus Bispos  do Brasil em favor da defesa da Vida e contra a legalização do aborto no nosso país. Seu apelo virou manchete em todos os jornais:

 

 

Uma cobrança  clara de Bento XVI  diante da omissão de muitos dos nossos Padres, Bispos e Arcebispos que se calaram diante da realidade do PT trabalhar pela legalização da aborto no Brasil.

E como se não bastasse  só esse silêncio e  omissão por  parte da nossa Igreja,  ainda tivemos aqueles  Bispos e Sacerdotes que vieram com a ousadia de darem o seu apoio ao PTcomo fez, por exemplo,  Dom Luiz Carlos Eccel, então Bispo de Caçador, município de Santa Catarina:

 

 

Um escárnio: no dia seguinte ao pedido do Papa, ele  fez exatamente o contrário. Suas palavras e declarações de apoio à Dilma e ao PT  jogaram no lixo  o Magistério da Igreja.  Jogaram esgoto abaixo seu compromisso de  fidelidade, comunhão e unidade  com  Bento XVI.

Como vimos tantos outros Padres e Bispos fazerem, dividindo a nossa Igreja. Bispo se levantando  contra Bispo. Padre contra Padre. Muitos chegaram ao ponto de dizer  que o documento  << Apelos aos Brasileiros e Brasileiras do Reginal Sul-1 da CNBB >>  era falso. 

 

 

Um absurdo! 

Padres e Bispos se levantarem contra a autenticidade deste documento, onde as declarações sobre as ações do PT para a legalização do aborto no Brasil são verdadeiras e bem fundamendatas e nenhuma delas desconhecidas pelas nossas autoridades eclesiais.

 O  Padre, o Bispo e  a pastoral que for, que disse  que este documento era falso, preferiu jogar no lixo  o Evangelho de Jesus Cristo. Quem  não trabalhou pela divulgação e  até mesmo impediu a sua distribuição,  ou quem achou melhor ignorá-lo não esta com a Igreja e  se contrapoe ao seu Magistério.  São  Padres e  Bispos  inteiramente dispensáveis da vida da Igreja, uma vez que não estão em  comunhão com o Papa.  Estão na Igreja, mas não são da Igreja e nem atuam como Igreja.

 

É muito triste dizer isto: 

muitos Padres e Bispos estão jogando a  nossa   Igreja no lixo! 

 

Como pudemos ver nestas eleições em tantos exemplos lamentáveis:

Como um Bispo agindo na sua condição de Bispo pode  se levantar contra outro Bispo?  Falo da afronta  que Dom Demétrio, Bispo de Jales,  fez ao seu  irmão de Bispado, Dom  Luiz  Gonzaga Bergonzini por este ter se posicionado de uma maneira  clara e acertiva  em defesa da vida e contra as ações abortistas do PT.    Mais do que um ataque pessoal a Dom Luiz, foi um ataque ao Evangelho, ao Magistério. Um ataque à nossa Mãe Igreja, jogando-a no lixo.  Uma conduta inaceitável para quem é Bispo. Como um Bispo da Igreja Católica pode vir à público atacar outro Bispo com o intuito de defender um Partido Abortista? Uma vergonha! Um Bispo assim não faz parte da Verdadeira Igreja Católica, esta na Igreja, mas não é Igreja.  Condutas como esta,  fazem  com que  a verdadeira Igreja de Jesus Cristo  seja jogada no lixo do relativismo e da dessacralização, como estamos vendo acontecer no mundo inteiro. 

Como se não bastasse esta parte apodrecida da Igreja do Brasil  vinda da falsa teologia da libertação, ainda fomos surpreendidos por novos inimigos, que ao invés de se levantarem como Testemunhas de Cristo, acabaram se tornando em traidores do Evangelho da Vida, como pudermos ver acontecer com a Canção Nova, nas ações protagonizadas pelo Chalita, Eto e  Cia, e  de todos aqueles seus membros que se omitiram e deixaram a CN  – mesmo sendo  um gigantesco complexo de comunicação católica –  silenciar a voz pela defesa da vida e dar apoio e acolhida ao PT.  Num ato inimaginável  e escândaloso  que acaba atingindo a já desfigurada e tão combalida  Renovação Carismática Católica no Brasil.

Ainda temos  o triste episódio  dos três  orgãos da CNBB que assinam um manifesto de apoio à integralidade e implementação imediata  do PNDH-3 do PT, como  esta no site: www.pndh3.com.br/sobre.   A Pastoral da Terra, com a presidência de  Dom Ladislau Biernaski;  o  CIMI – Conselho Indigenista Missionário, com  Dom Erwin; e a Comissão Justiça e Paz de SP, representada por Padres e Religiosas.

Até hoje os Bispos e autoridades eclesiais  responsáveis por estes orgãos, bem como o secretariado do CNBB não responderam a nenhum dos nossos emails pedindo a retirada dos seus nomes  deste abaixo assinado pró aborto e de todas as outras aberrações contidas  no PNDH-3. Mais uma vez, estamos diante das ações  que estão sendo feitas contra a nossa Igreja e  contra o seu Magistério, vinda dos seus próprios Padres e Bispos.

Depois de todas as graças recebidas no  Ano Sacerdotal: <<  Fidelidade de Cristo, Fidelidade do Sacerdote >>, nossa Igreja não permanecerá assim do mesmo  jeito, não ficará mais sendo jogada no lixo como estamos vendo acontecer em tantos casos.   Não haverá mais espaço para a atuação de Padres e Bispos infiéis. A última palavra na Igreja ficará com os seus Santos, com aqueles que se levantarem  como Testemunhas de Cristo, como os verdadeiros anunciadores do Evangelho.

Vem Senhor Jesus socorrer a tua Igreja no Brasil !!! 

obs: o grifo do PT em vermelho  é para lembrar o sangue derramado de todos os nascituros assassinados nos abortos.

Ernesto Peres de Mendonça – Comunidade Família de Deus

 

Na Vigília de Oração pela Vida Nascente:

 

 

Queridos irmãos e irmãs,

Com a celebração desta noite, o Senhor nos dá a graça e a alegria de inaugurar o novo Ano Litúrgico a partir de sua primeira fase: o ” Advento , o período que se comemora a vinda de Deus entre nós.  Todo começo tem dentro de si uma graça especial, tão abençoado pelo Senhor.  Em neste Advento será dado, mais uma vez, para experimentar a proximidade de quem criou o mundo, que dirige a história e que tomou conta de nós, alcançando o auge de sua condescendência para se tornar um homem.  O mistério muito grande e fascinante de Deus conosco, o Deus que faz um de nós é o que comemorar nas próximas semanas, caminhando para o santo Natal.  Durante o tempo do Advento , o sentir da Igreja que nos leva pela mão, a imagem da Virgem Maria exprime a sua maternidade, permitindo-nos a experimentar a alegre expectativa da vinda do Senhor, que abraça a todos nós em seu amor salvífico e consolação.

Enquanto nossos corações se abrem para a celebração anual do nascimento de Cristo, a liturgia da Igreja dirige o nosso olhar para a meta final: o encontro com o Senhor, que será no esplendor da sua glória. É por isso que, em cada Eucaristia, “anunciando a sua morte, proclamamos a sua ressurreição até que Ele venha” vigilantes na oração. A liturgia não deixa de incentivar e apoiar, colocando em nossos lábios, nos dias de Advento , o grito com o qual ele conclui a Bíblia inteira, a última página do Apocalipse de São João: “Vem, Senhor Jesus “(22:20).

Queridos irmãos e irmãs, nossa reunião esta noite para começar a jornada de Advento é reforçada por um outro motivo importante: com toda a Igreja, queremos celebrar uma vigília de oração solene para a vida em gestação. Desejo expressar meus agradecimentos a todos que se juntaram a este apelo e aqueles que se dedicam especificamente para abrigar e preservar a vida humana em diferentes situações de fragilidade, especialmente em seus primeiros dias e em seus estágios iniciais. Apenas o ‘ início do ano litúrgico, nos ajuda a viver mais uma vez a expectativa de Deus feito carne no ventre da Virgem Maria, Deus que se faz pequeno, ele se torna uma criança, nos fala sobre a vinda de um Deus que está próximo, que ele queria voltar vida humana, desde o início, e que para salvá-la completamente, totalmente.  E assim o mistério da Encarnação do Senhor e o início da vida humana estão intimamente ligados e em harmonia uns com os outros dentro do plano salvífico de um Deus, o Senhor da vida de cada um. A Encarnação revela-nos com a luz intensa e tão surpreendente que cada vida humana tem dignidade maior, incomparável.

O homem tem um único original em relação a todos os outros seres vivos que habitam a terra. Apresenta-se como entidade única e singular, dotado de inteligência e vontade livre, bem como compostos da realidade material.  Ele vive em simultâneo e inseparável da dimensão espiritual e tamanho do corpo. Ele também sugere o texto da Primeira Epístola aos Tessalonicenses foi proclamado: “O Deus da Paz – escreve São Paulo – vos santifique totalmente, e toda a sua pessoa, espírito, alma e corpo, sejam plenamente conservados irrepreensíveis para a vinda de nosso Senhor Jesus Cristo “(5:23). Atuamos em realidades terrenas e, através deles, podemos perceber a presença de Deus e buscá-Lo, verdade, bondade e beleza absoluta. Saboreamos os fragmentos da vida e da felicidade e realização total que almejamos.

Deus nos ama tão profundamente, totalmente, sem distinção, nos chama a amizade com ele, torna-nos parte de uma realidade além da imaginação e cada pensamento e palavra, sua própria vida divina. Com emoção e gratidão, reconhecemos o valor da dignidade incomparável de cada pessoa humana e da grande responsabilidade que temos para com todos. “Cristo é o novo Adão – diz o Concílio Vaticano II – a revelação do mistério do Pai e do seu amor, manifesta plenamente o homem ao próprio homem e faz a sua suprema vocação … Pela sua encarnação, o Filho de Deus uniu-se em certo modo a cada homem “(Constituição Gaudium et Spes , 22).

Acreditar em Jesus Cristo também terão uma nova visão sobre o homem, um olhar de confiança e esperança.  Além disso, a própria experiência e a razão mostram que o ser humano é um sujeito capaz de discernimento, auto-consciente e livre, único e insubstituível, a cimeira de todas as coisas terrenas, que deve ser reconhecida como um valor em mesmo e devem ser acolhidas com respeito e amor sempre. Ele tem o direito de não ser tratado como um objeto de posse ou algo que você pode manipulá-lo à vontade, não deve ser reduzido a um mero instrumento para o benefício dos outros e seus interesses.  Amor para todos, então, se ele é sincero, é, naturalmente, tornar-se uma atenção preferencial aos mais fracos e mais pobres.  Nesta linha, encontramos a solicitude da Igreja para o nascituro, o mais frágil, a mais ameaçada pelo egoísmo dos adultos e da escuridão da consciência.  A Igreja sempre reitera o que disse o Concílio Vaticano II sobre o aborto e qualquer violação da vida nova:  “A vida desde a concepção deve ser protegida com o máximo cuidado” (ibid., n. 51).

 Há tendências culturais que buscam para anestesiar as consciências com razões especiosas.  No que diz respeito ao embrião no útero, a própria ciência torná-los capazes de autonomia de interação com a mãe, a coordenação dos processos biológicos, a continuidade do desenvolvimento, a crescente complexidade do organismo. Este não é um acúmulo de material biológico, mas um ser novo, dinâmico e maravilhosamente ordenado, um novo ser humano único.  Assim foi Jesus no ventre de Maria, por isso foi para todos nós no ventre. Com o escritor cristão Tertuliano antiga, podemos dizer: “É já um homem que vai ser” (Apologia, IX, 8), não há razão para não considerar uma pessoa desde a concepção.

Infelizmente, mesmo após o nascimento, a vida das crianças continua a ser expostos ao abandono, fome, pobreza, doença, violência, abuso ou exploração. As muitas violações dos seus direitos que são cometidos no mundo ferido gravemente a consciência de cada homem de boa vontade.  Antes da paisagem triste das injustiças cometidas contra a vida humana, antes e após o nascimento, eu faço o apelo apaixonado do Papa João Paulo II para a responsabilidade de cada um: Respeito “, proteger, amar e servir a vida, cada vida humana!  Somente nesse sentido encontra-se justiça, o desenvolvimento, a verdadeira liberdade, paz e felicidade “(Encíclica Evangelium vitae, 5 ).  Exorto-os protagonistas da comunicação política, económica e social para fazer tudo ao seu alcance para promover uma cultura que respeite a vida humana, para proporcionar condições favoráveis para as redes de acolhimento e de apoio e desenvolvimento.

 Para a Virgem Maria, que acolheu o Filho de Deus feito homem em sua fé, o ventre de sua mãe, com carinho, com o acompanhamento de suporte e vibrante, com amor, oração e compromisso com a depender de uma nova vida . Nós fazemos isso na liturgia – que é onde nós vivemos a verdade e a vida, onde a verdade com a gente – adorando a divina Eucaristia, nós contemplamos o corpo de Cristo, esse corpo que encarnou de Maria pelo Espírito Santo, e de sua nasceu em Belém para a nossa salvação. Ave verum Corpus, natum de Maria Virgine. Amém!

Homilia do Bapa Bento XVI – Início do Advento 2010  

© Copyright 2010 – Libreria Editrice Vaticana © Copyright 2010 – Libreria Editrice Vaticana

Ontem o mundo inteiro ficou em vigília:

 

 

<<  Coração Eucarístico de Jesus

livrai a Vida Nascente das insídias de satanás !!!  >>

 

 

 

Estamos em Vigília !!!

 

Hoje

o nosso planeta Terra

acordou mais bonito.

Com o brilho intenso 

do seu azul

ilumindando todo o universo.

Por conta das nossas orações

no mundo inteiro

pela Vida Nascente !!!

 

Amanhã: Vigília Mundial de Oração pela Vida Nascente

 

A Igreja é antiga e sábia. Gente mal informada pensa o contrário

 


 

Sempre me espanta o fato que se dá tanta atenção ao que o papa diz. Não porque ele não seja uma figura importante (no caso de Bento 16, também um teólogo importante), mas porque muita gente que faz barulho com o que fala não se diz católica.

Afinal, por que tanta atenção? Talvez haja aí algo que a psicanálise possa responder: trauma com o pai? Ser contra a “camisinha” inviabiliza sua distribuição no mundo? Custo a crer que a fala da igreja diminua em uma dezena sequer o número de camisinhas acessíveis. Acho muito barulho por nada.

A Igreja Católica é uma instituição antiga e sábia. Gente mal informada pensa o contrário. Esteve em muitas trincheiras ao longo de 2.000 anos, salvou gente, matou gente. Espírito e corpo, como todos nós. Teve e tem um papel civilizador essencial.

Acho um erro quem considera possível descartar a posição da igreja para com “hábitos sexuais contemporâneos” de forma ligeira como se fora simples “atraso”.

Frases como “o mundo avançou muito” são normalmente indício de superficialidade analítica. Homens e mulheres continuam atolados nos mesmos dramas de amor, ódio, sexo e morte.

O foco da igreja deve ser a humanização da sexualidade, o que significa basicamente que se sexo é barato e amor é caro, o primeiro sem o segundo sempre corre o risco de ser degradante.

Neste sentido, o uso da camisinha é apenas paliativo no combate a comportamentos sexuais promíscuos que aprofundam a contaminação com doenças sexualmente transmissíveis (DST).

A melhor forma (todo mundo sabe) de combater DST é a mudança de comportamento sexual (tornar o sexo “mais caro” ao afeto).

Mas isso ninguém quer pensar porque é “feio” dizer que a “vida como balada” é um beco sem saída. Mas é exatamente aí que a igreja destoa e por isso se torna essencial, para além das crenças de cada um. (…)

 Luiz Felipe Pondé  –  Folha de São Paulo, Caderno Poder